Algum lugar do Planeta

Viagens pelo mundo


Deixe um comentário

China – Xi’an – Lhasa

E nossa viagem de trem para o Tibet que deveria ter saíde Xi’an acabou não saindo de Xi’an exatamente, mas sim  de uma cidade próxima que eu acho que seja Baoji. A empresa de turismo não conseguiu tickets saindo de Xi’an para Lhasa, só tinha tickets de Chengdu para Lhasa, o trem passa por Baoji uma cidade próxima, daí pegamos o trem lá. A agência providenciou nossa chegada até Baoji com o mesmo guia e motorista, foi sem problemas.

Foi em Xi’an que eu peguei nossos Tibet Travel Permit. O “visto” especial para entrar no Tibet, a agência já havia me mandado por e-mail, mas o guia de Xi’an nos entregou o original.

Permit para entrar no Tibet

Como vocês podem ver nada mais é do que um papel com um monte de coisas escritas em chinês… Não dá pra entender muita coisa. Eles pedem esse permit quando você entra no trem, só dão uma olhada e te devolvem, no trem eu entreguei as cópias e os originais só entreguei para o meu guia quando cheguei em Lhasa.

Tem todo um processo quando você entra no trem, entrega os tickets, eles pedem esse permit e seu passaporte (se me lembro bem), eles ficam com seu ticket te entregam um cartãozinho azul.

A passagem de trem

O cartãozinho azul

Esse 6 e 20 são o número da sua cama e da sua cabine, quando estiver chegando as mocinhas virão pegar o seu cartão e devolver seu ticket, não faço ideia do que é de fato esse cartão.

Bom, de Xi’an até Lhasa são 33 horas ou algo próximo disso, depois de tanto tempo dentro do trem eu já nem sabia mais (e pouco me importava) que horas eram quando chegamos em Lhasa.

Além de tanto tempo dentro do trem ainda passamos mais um perregue, lembra que não conseguimos sacar dinheiro em Xi’an? É, faltou para as refeições no trem, levamos alguns biscoitinhos, salgadinhos, mas nada se compara a refeições, né? Mas pensando bem, mesmo se tivessémos mais dinheiro para as refeições não seriam assim tão melhores, a comida do trem não era nenhuma maravilha, refeições ok, mas nada de extraordinário. Não deixamos de fazer nenhuma refeição elas eram apenas limitadas… Se normalmente pedíamos arroz e mais uns 3 pratos, dessa vez só foi o arroz e 1 prato. Eu fiquei de boa, mas acho que meu pai e meu irmão passaram um pouco de fome. É, e não aceitam cartão dentro do trem… Só dinheiro mesmo.

No trem você tem 2 opções de comida, no vagão restaurante e um tipo de marmita que a uma moça passa com um carrinho vendendo, infelizmente não lembro o preço dessa marmita. Ah, no trem também tem torneira de água quente, claro, se você quisesse podia levar seu cup noddles.

Uma das coisas mais irritantes do trem são os fumantes! As pessoas fumam o tempo todo! Ok que elas podem não fumar dentro da sua cabine, mas mesmo elas indo no banheiro ou naquelas conexões entre os vagões não adianta nada o cheiro de cigarro se espalha e me incomodou bastante, no vagão restaurante as pessoas também fumavam, era bem chato isso. Só quando passamos de Goldmun e a altitude já estava há mais de 2 mil metros o pessoal começou a diminuir o cigarro.

Os banheiros eu diria que são passáveis, até um pouco melhor do que eu imaginava, de verdade esperava que depois de um tempo eles ficassem impossíveis de usar, que nem os de avião da classe econômica ficam no fim de viagens mais longas, mas não, eles mantiveram o padrão do começo ao fim.

Nesse site http://www.chinatibettrain.com você vê a rota do trem e fotos, elas são bem fieis a realidade! Inclusive, de quando eu viajei e hoje o site melhorou!

O corredor do vagão.

Paisagem da janela do trem de dentro da cabine.

Dentro da cabine, na cama debaixo.

Na estação de Lhasa

A viagem é cansativa, chega a entediar, mas não me arrependo achei que valeu a pena, mas só volto a fazê-la um dia (se voltar) quando os cigarros forem proibidos dentro do trem!

Anúncios


Deixe um comentário

China – Beijing II

Segundo e último dia em Beijing, fomos conhecer as principais atrações da cidade mesmo e confesso que a cidade em si me decepcionou, tudo bem que só andei de motorista, não usei transporte público, nem andei muito longe dos pontos turísticos, mas parece que a cidade só é bonita nos pontos turísticos, achei a paisagem muito cinza e monótona, prédios parecidos e sem cor nenhuma, posso estar com a impressão totalmente equivocada, mas foi essa que fiquei.

Primeiro fomos no Templo do Céu, é um parque lindo e o mais legal é ver os chineses dançando ou fazendo exercícios!

Depois fomos na Cidade Proibida, passando antes é claro, na Praça da Paz Celestial.

Depois de um almoço não muito bom num restaurante perto do centro olímpico de Beijing, não pudemos entrar nem no ninho do Pássaro, nem no Cubo d’água, fechado para visitas… 😦

Fomos visitar uma “fábrica” de seda, na verdade é uma atração para turistas, tem um pequeno museu contando sobre a rota da seda, como ela é fabricada e venda de produtos em seda, eu comprei um edredon pra mim! O recheio é feito de seda, mas a capa deixei pra comprar por aqui de algodão mesmo.

Último passeio do dia foi o Palácio de Verão, é um parque bem grande e bem bonito, no verão deve ser bem gostoso passear por lá.

Por fim fomos para a estação de trem para pegar o trem em direção à Xi’an. A guia nos deu os tickets e nos deixou na porta da estação. Ela disse que não era permitido entrar acompanhantes.

Bilhete de Beijing até Xi’an.

Sala de espera da estação de trem de Beijing.

Sabe Terminal Tietê em véspera de feriado? Então multiplica o Tietê por 3 ou mais… Essa sala da foto era uma das dezenas de salas do mesmo tamanho que tinhma lá e sim, todas lotadas! Essa foto nem tá mostrando muito a muvuca que ficou uns minutos antes do embarque começar. E lembre-se não tem nada em inglês memorize o caractere que você vê no bilhete e olhe no letreiro para descobrir a sua sala de espera! 😉 Brincadeira, aquele Z53 do ticket é a sua sala de espera ou seu portão de embarque, por ele você consegue uma direção…

Uma curiosidade é que em todo lugar na China você encontra uma torneira pública de água quente, por que? Para as pessoas fazerem seus noddles! Sabe aquele macarrão instantâneo de copo? As pessoas compram, vão até a torneira enchem de água quente e sua refeição está pronta! Na estação de trem, dentro do trem em qualquer lugar! Isso quando elas não carregam sua própria garrafinha de água quente.

A viagem de Beijing para Xi’an foi super tranquila, são 11 horas de viagem, mas achei as cabines super confortáveis. Não tirei fotos, mas são iguais às do trem para o Tibet.