Algum lugar do Planeta

Viagens pelo mundo


Deixe um comentário

China – Beijing II

Segundo e último dia em Beijing, fomos conhecer as principais atrações da cidade mesmo e confesso que a cidade em si me decepcionou, tudo bem que só andei de motorista, não usei transporte público, nem andei muito longe dos pontos turísticos, mas parece que a cidade só é bonita nos pontos turísticos, achei a paisagem muito cinza e monótona, prédios parecidos e sem cor nenhuma, posso estar com a impressão totalmente equivocada, mas foi essa que fiquei.

Primeiro fomos no Templo do Céu, é um parque lindo e o mais legal é ver os chineses dançando ou fazendo exercícios!

Depois fomos na Cidade Proibida, passando antes é claro, na Praça da Paz Celestial.

Depois de um almoço não muito bom num restaurante perto do centro olímpico de Beijing, não pudemos entrar nem no ninho do Pássaro, nem no Cubo d’água, fechado para visitas… 😦

Fomos visitar uma “fábrica” de seda, na verdade é uma atração para turistas, tem um pequeno museu contando sobre a rota da seda, como ela é fabricada e venda de produtos em seda, eu comprei um edredon pra mim! O recheio é feito de seda, mas a capa deixei pra comprar por aqui de algodão mesmo.

Último passeio do dia foi o Palácio de Verão, é um parque bem grande e bem bonito, no verão deve ser bem gostoso passear por lá.

Por fim fomos para a estação de trem para pegar o trem em direção à Xi’an. A guia nos deu os tickets e nos deixou na porta da estação. Ela disse que não era permitido entrar acompanhantes.

Bilhete de Beijing até Xi’an.

Sala de espera da estação de trem de Beijing.

Sabe Terminal Tietê em véspera de feriado? Então multiplica o Tietê por 3 ou mais… Essa sala da foto era uma das dezenas de salas do mesmo tamanho que tinhma lá e sim, todas lotadas! Essa foto nem tá mostrando muito a muvuca que ficou uns minutos antes do embarque começar. E lembre-se não tem nada em inglês memorize o caractere que você vê no bilhete e olhe no letreiro para descobrir a sua sala de espera! 😉 Brincadeira, aquele Z53 do ticket é a sua sala de espera ou seu portão de embarque, por ele você consegue uma direção…

Uma curiosidade é que em todo lugar na China você encontra uma torneira pública de água quente, por que? Para as pessoas fazerem seus noddles! Sabe aquele macarrão instantâneo de copo? As pessoas compram, vão até a torneira enchem de água quente e sua refeição está pronta! Na estação de trem, dentro do trem em qualquer lugar! Isso quando elas não carregam sua própria garrafinha de água quente.

A viagem de Beijing para Xi’an foi super tranquila, são 11 horas de viagem, mas achei as cabines super confortáveis. Não tirei fotos, mas são iguais às do trem para o Tibet.


Deixe um comentário

China – Beijing I

Depois de sair de um frio ok em HK embarcamos para o frio congelante de Beijing, a chegada foi tranquila, nosso avião não parou num finger e tivemos que pegar um ônibus, só de descermos do avião já sentimos o frio cortante que nos esperava.

Ficamos no Peixin Hotel, hotel bom, acomodações ok. Eu não sou muito exigente para hotel, então quando eu falo ok para quem é mais exigente pode ser que não seja tão ok assim.

Ninguém fala ingles, tá? Nem na recepção do hotel, nem em lugar nenhum da China, isso é  a rotina, se você encontrar alguém que fala inglês além do seu guia agradeça! Quando chegamos no quarto vimos que não tinha uma cama extra e se não fosse a guia ter subido com a gente para ver se estava tudo certo e falado com eles para resolver isso, não sei como seria, certamente resolveríamos o problema, mas daria um pouco de trabalho.

Fomos jantar num restaurante perto do hotel (onde obviamente ninguém falava inglês) e comemos dumplings, o que salvou é que o restaurante tinha cardápio com fotos, isso ajuda bem!

No dia seguinte o café da manhã era todo chinês, leite de soja, macarrão, verduras, ovos… Nada de pão, café ou bolos. Esse hotel como todos os outros que ficamos eram bem chineses mesmo, nada de café da manhã internacional com opções como cereais, pão e café. Eu achei legal, mas se você não está esperando pode ser estranho, café da manhã para eles é quase que uma refeição como outra qualquer.

O passeio começou com as muralhas da China, fomos num trecho bem afastado, para chegar até lá tem que pegar um teleférico. Pra descer você tem a opção de um escorregador! Eu desci escorregando e adorei! Ah, a subida de teleférico não estava inclusa no pacote, tivemos que pagar 80 yuans ( aprox R$26,00) por pessoa.

Teleférico que leva até as muralhas.

Beijing (61) Beijing (44) Beijing (53)

Eu descendo as muralhas de escorregador!

Antes de chegar na entrada da muralha tem um monte de camelôs vendendo tudo que você imaginar, pechinche e não tenha dó de oferecer a metade do que eles começarem a pedir. Faz parte do negócio.

Depois do passeio nas muralhas visitamos as tumbas Ming, 13 imperadores dessa dinastia estão enterrados lá. As tumbas desses imperadores eram verdadeiros parques, pena que na época que foram enterrados ninguém podia ir até lá passear…

Beijing (107)

Portal do céu.

Beijing (115) Beijing (82) Beijing (89) Beijing (105)

Visitamos uma fábrica de jade que pertence ao governo. É bem legal, tem um museu e você vê as pessoas produzindo algumas peças ao vivo e depois, claro, tem uma loja imensa de coisas de jade para você comprar.

De volta a Beijing fomos numa casa de chá, tem degustação de vários chás e a explicação de cada um deles, não sei em qual fomos, o cartão que eu peguei tá tudo escrito em chinês!

À noite fomos no show de kung fu que já estava incluso no pacote (The Legend of Kung Fu), na verdade não é bem um show de kung fu, é um musical com tema de kung fu, eu gostei, é falado em inglês, mas meu pai dormiu!

Na volta resolvemos jantar num restaurante perto do hotel, lógico que ninguém falava inglês lá, e o que nos salvou foram as fotografias, a única coisa que me lembro desse restaurante era que a comida era apimentada, como a maioria dos lugares que comi na China.