Algum lugar do Planeta

Viagens pelo mundo

48 horas em Doha

24 Comentários

Já vou dizendo, 48 horas é tempo demais nessa cidade se você não programar uns passeios no deserto, eu não programei, então achei que fiquei tempo demais.

Doha 010

Essa foi minha primeira experiência num país árabe/ mulçumano, confesso que estava bem apreensiva, mas foi bem mais sossegado do que imaginei.

Na verdade eu não escolhi Doha, eu escolhi a Qatar que foi a companhia aérea mais barata para voar para Cingapura, parei 2 dias em Doha por um erro meu, devia ter escolhido ficar só 1 dia.

Cheguei em Doha umas 23h do dia 24/01, depois de translado do avião até a fila da imigração e translado para o hotel, cheguei mesmo na cidade já era mesmo dia 25. Meu voo para Cingapura foi nas primeiras horas do dia 27/01. Foram quase que 48 horas exatas.

Acordei na sexta, tomei café e fui tentar passear, mas a recepcionista do hotel, pra quem perguntei sobre como chegar nos lugares, me alertou que na sexta a maioria das coisas só abrem depois do meio-dia. Eu tava morrendo de sono, fui dormir mais um pouco…

Lá pelas 13h30 resolvi ir no Museu de Arte Islâmica (eu já tinha visto no site que na sexta abre depois das 14h) como cheguei antes do museu abrir fiquei passeando no parque ao lado que eles chamam de Corniche, é bem gostoso de caminhar e a vista bem agradável. Nessa época do ano a temperatura é super gostosa e tem uma brisa fresca, se fosse em outro período, nesse horário acho que seria impossível fazer esse passeio.

O Museu é bem bonito e as obras bem interessantes, a entrada é grátis assim como o aparelho de audio que eles emprestam.

Almocei no Museu uma salada de lentilha com ovo e um suco de maçã. Preço: 39 rials (o dinheiro do Qatar).

Doha 015

Terminei minha visita no museu e continuei passeando, fui em direção ao Centro de Cultura Islâmica e o Souq Waqif (o mercado mais famoso da cidade). É bem perto, é tranquilo de caminhar até lá.

O Souq Waqif é o lugar mais legal que eu fui em Doha, cheguei lá já no início da noite e é sensacional passear por lá, é aquele mercado árabe típico, só que limpinho e até que bem arrumado, dizem que ele tá sendo todo modernizado. Você vai encontrar a área de tecidos, de comida, de material de construção, de animais (falcões, cavalos, aves, camelos), achei que fosse me perder lá, mas não sei se eu tenho um bom senso de direção e em nenhum momento perdi muito a noção de onde estava lá dentro. Uma das partes de comida ficam umas mulheres vendendo comidas caseiras, eu comi um tipo de panqueca salgada (3 rials), me lembrou muito a massa da ataifa (um doce árabe, sírio, turco, não sei ao certo) que sempre como quando vou na 25 de março.

Doha 044

A “panqueca” que eu comi sendo feita.

Doha 045

As outras comidas típicas sendo vendidas.

No dia seguinte não sabia muito bem o que fazer, optei por dar uma olhada no mercado de novo (viu como eu gostei?) de dia eu ainda vi o mercado de aves que não tinha encontrado a noite. E depois resolvi ir no Villaggio, um shopping que tem a imitação de um canal de Veneza dentro dele. É meio Las Vegas, eu sei, mas achei que seria interessante e menos cansativo (eu ainda tava com os horários meio torto), é interessante, mas me senti nos EUA dentro daquele shopping, se não fosse é claro só os árabes todos vestidos com suas roupas  típicas e “umas iguais as outras” passeando por lá.

Doha 080 Doha 074 Doha 078

Impressões gerais sobre Doha:

  • Eu achava que por estar sozinha teria algum problema no mercado ou na rua. Que nada, foi super sossegado, os únicos me encaravam e ficavam me medindo eram os indianos, era bem desagradável por que eles até viravam o rosto para ficar olhando para trás.
  • Para mim os árabes andam todos uniformizados, são pouquíssimas as variações de roupas entre eles. As mulheres sempre de preto, algumas com o véu cobrindo tudo, as outras divididas entre mostrando o rosto ou só os olhos. Os homens sempre de branco e só variando a cor do turbante, todo branco ou com uma estampa vermelha, vi para vender esse estampado na cor azul também, mas não vi ninguém usando.
  • São poucas as mulheres andando sozinhas, a maioria ou está acompanhada pela família ou com várias mulheres.
  • Achei a comida salgada (com muito sal mesmo) no geral e por conta dos 1001 cheiros no mercado não tive vontade de comer nada além da “panqueca” que falei ali em cima.
  • Não achei as coisas caras, na verdade elas são caras sim, mas comparadas com o Brasil estão num preço bem parecido, é o Brasil que anda caro demais.
  • Fiquei no Hotel Musherib, próximo post deverá ser uma resenha. Não fui ver ainda o preço dos hoteis dentro do Souq Waqif, mas acho que seria bem legal ficar lá, acho que deve ser como ficar hospedado nos hoteis da Disney! hehehe
  • O Qatar é um país estranho, a maioria das pessoas não são de lá, é um país de indianos, filipinos, nepaleses. E me pareceu que não tem uma identidade muito forte com a qual todos se identificam, pra começar você identifica bem cada nacionalidade pelas roupas que eles vestem.
  • Me senti enganda pelos taxistas o tempo todo. Quando cheguei um cara no saguão me perguntou se eu queria taxi, eu disse que sim, como no Brasil, achei que ele fosse me levar até o taxi na porta ou algo assim, mas não! Ele me levou até o carro particular dele e me levou para o hotel, na hora lógico que fiquei tensa, mas acreditei que no me li e disseram que o Qatar era um país seguro, o assalto foi mesmo na hora de pagar: 60 rials, na volta eu pedi um táxi no hotel e foi 30! As outras corridas de táxi que fiz sempre deram por volta de 25 rials, na primeira vez foi ingenuidade minha que não pedi pro taxista ligar o taxímetro, mas da outra vez o taxista era uma anta, não sabia para onde estava indo, quase bateu o carro e ainda não acreditava em mim qdo eu dizia que nome do hotel (ele falava que aquele era o bairro, não o hotel), no fim depois de várias voltas desncessárias eu tive que ir indicando como chegar no hotel para o taxista (pasmem!), achei que ao menos ele ia me dar um desconto, que nada, ele ainda teve a cara-de-pau de me arredondar a corrida em 0.75 centavos e me cobrar! Fiquei bem brava paguei e falei q ele não merecia que ele tinha que aprender a dirigir naquela cidade e o cara ainda me olhou com indignação!

Eu sei que vai ter gente que vai falar que todos meus comentários estão cheio de preconceitos e generalizações, calma gente, isso tudo são só impressões, realmente 48 horas num lugar não nos permite ter uma imagem real do que é um país e suas pessoas.

Um pouco do Brasil no Qatar

Doha 066Doha 082 Doha 081

Anúncios

24 pensamentos sobre “48 horas em Doha

  1. Pingback: Hotel Musherib – Doha « Algum lugar do Planeta

  2. Pingback: Voando Qatar Airways « Algum lugar do Planeta

  3. Vc teve que usar véu?

  4. Seria mt perguntar como chegamos do aeroporto para a cidade sem usar taxi: Existe metro que faça aeroporto -cidade, obrigado

    • Alguns hotéis tem sistema de onibus gratuito, mas nao sei quais sao. Não há metrô e nao sei como funciona o sistema de ônibus. Eu cheguei muito tarde então minha única opção foi o taxi.

  5. OI Clau! Obrigada por compartilhar sua experiência. Como vc se sentiu sozinha lá? Em algum momento se sentiu vulnerável? Acha importante ter cuidados com as roupas, com quem falar ou não falar, que rotas escolher, etc… e a imigração tem alguma “tensão”? Será que andar de véu pode evitar alguma situação ou olhares desagradáveis? Obg!

    • Oi Sabrina,
      Não tive qq problema na imigração, foi td bem tranquilo. Roupa tb não tive maiores problemas pq era inverno, entao estava coberta o tempo todo, mas sempre de calça.
      Eu não usei véu e não tive nenhum problema com os árabes, meu único problema foi com os indianos e nesse caso não sei se usar véu resolveria, eles são muito indiscretos, te encaram e ficam olhando sem o menor pudor, um saco pra ser bem sincera!
      No mais é td bem tranquilo… Qq outra pergunta fique a vontade.

  6. Adorei o blog. Estou indo em breve e acho que com essas info ja tenho o bastante 😉

  7. OI Clau! Sou eu novamente… será que lá em Doha tem city tour, desses clássicos, em cima do ônibus ou coisa do gênero..? Como passo apenas um dia lá, sozinha, pensei nessa hipótese. Que achas?

  8. Oi Clau, tudo bem?
    Estou tendo dificuldade em encontrar um hotel que emita o visto para entrada no Qatar. Estou indo para Tokyo em Março e decidi ficar 2 dias em Doha. Você emitiu seu visto com o hotel do post? Como foi o processo de emissão?
    Muito obrigado pela atenção.

    • Oi Aurélio,
      Como eu tenho passaporte europeu eu consigo tirar o visto na entrada com a reserva do hotel e pagando uma taxa. Nao sei se esse hotel ajuda na emissao do visto… Lamento nao poder ajudar muito.

  9. Vou fazer uma conexão de 13 horas em Doha. Porém, chego as 18h35 da noite e vou embora no outro dia as 8h da manhã. Você acha que vale a pena ficar em Doha? Pergunto porque vai ter custo de hotel e do visto (USD50) só para as 13 h. E além disso, vai ser no segundo dia do Hamadam. Me pergunto se vai ter alguma coisa pra fazer. Você saberia dizer? Obrigado

    • Marco,
      Vc vai voar de Qatar? Se nao me engano para conexoes acima de 12 horas eles dao hotel, jantar e o visto. Mande um mail para eles!

      • Vai ser Qatar Airways sim. Seria isso mesmo mas a minha passagem foi tão barata (classe O) que eles não cobrem esses custos e por isso vai ter sair tudo do meu bolso mesmo. Mas tô na dúvida se vale a pena (à noite, Hamadam, etc).

      • Bom,o aeroporto de Doha não é dos melhores, eu achei feio, apertado e sem muito o fazer, mas tem internet grátis. Qtas horas vc ainda vai voar depois de Doha? Acho q uma volta no mercado sempre vai valer a pena, mas por ser Hamadam nao sei se isso altera o funcionamento. Tem um aplicativo para celular que chama Ask a Nomad, lá o pessoal local sempre responde perguntas, ou mesmo no couchsurf, acho q quem mora lá vai saber te responder melhor se vc consegue ver alguma coisa na cidade de noite.

      • Muito boa a sua ideia. Vou instalar os aplicativos e fazer a pergunta. Obrigado

  10. Oi Clau, iremos a Hong Kong via Doha. penso em ficar em Doha 3 dias inteiros na volta. Vc acha muito tempo? Seria o dia da chegada ( as 8h da manhã) e mais 2 dias inteiros. Volto p Brasil no dia seguinte pois o voo sai as 8h da manhã. Vc foi a Dubai?

    Abs

    Marcelo

    • Oi Marcelo, eu acho 3 dias muito tempo sim, pq no dia q vc chegar vc pode fazer o mercado e o museu tranquilamente e no dia seguinte veja um tour pelo deserto e ai no terceiro dia nao sei o q mais teria para fazer por lá… Eu não fui visitar a parte dos prédios comerciais novos e talz, mas acho q 1 ou 2 horas deve resolver e vc consegue encaixar em algum momento desses 2 dias.
      Não, nao fui a Dubai.

      • Oi Clau, obrigado pela resposta. Na verdade, o passeio no deserto faremos em Dubai. Pelo que tenho lido sobre Doha, também me pareceu que os 2 dias serão suficientes.

        abs

        Marcelo

  11. Seu blog foi uma das primeiras fontes de informação que tive sobre Doha e um dos poucos em português sobre o local. Estou morando aqui há 9 meses e estou escrevendo um blog específico sobre Doha.

    http://desbravadoha.com/

    Página no facebook: https://www.facebook.com/desbravadoha?fref=ts

    Twitter @desbravadoha

    Grande abraço!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s